Blogs

Solicitando reajuste salarial e outras demandas, os servidores públicos federais do Pará fazem um ato na manhã dessa terça-feira (18/8) em frente ao Instituto Evandro Chagas (IEC), localizado na rodovia BR-316.

No dia 15 de agosto de 2015 o comando de greve da Superintendência Regional do Incra em Rondônia e servidores do órgão lotados no município de Ji-Paraná reuniram-se com o Senador Acir Gurgacz (PDT-RO) para demonstrar os motivos do movimento iniciado no último dia 27 de julho e solicitar seu apoio às reivindicações junto ao Ministério do Planejamento e Orçamento (MPOG) e à presidenta Dilma.

A manifestação dos Servidores do INCRA - realizada na manhã do dia 12 de agosto de 2015, na capital Porto Velho -, teve a participação da diretoria do Sindsef/RO, Assincra/RO e funcionários terceirizados lotados no órgão em Rondônia.

Servidores do INCRA/RN participaram, no dia 11 de agosto de 2015, de ato unificado com demais trabalhadores de órgãos da administração pública federal, quando os profissionais em greve tomaram às ruas da capital Natal (RN) para mostrar que não vão aceitar a proposta de 21,3%, parcelado em 4 anos como quer o governo.

Servidores do INCRA/RN e de outros órgãos da administração pública federal em Natal realizaram mobilização na porta da entidade no dia 5 de agosto de 2015. Os servidores do INCRA entram na greve a partir da atividade ocorrida naquela data. A adesão do órgão  demonstra como movimento grevista vem crescendo no estado e como a força dos trabalhadores é necessária para forçar as negociações com o governo.

Os servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e técnicos da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) que também estão em greve desde o mês de junho realizaram na manhã do dia 22 de julho de 2015, em Marabá, no Sudeste do Pará, um protesto na rodovia BR-230, conhecida como Transamazônica.

Em Belém os trabalhadores do Incra e MDA (em greve desde o dia 10 de julho) juntaram-se, em 30 de julho de 2015, a outros servidores públicos de órgãos federais em greve em manifestação na manhã daquele dia, no bairro de São Brás, na capital do Pará. O ato fez parte da programação nacional de mobilizações das categorias, cuja pauta de reivindicações tem como principal objetivo a reposição de perdas salariais.

Em Rondônia dezenas de servidores federais em greve reuniram-se no dia 30 de julho de 2015, na Praça Getúlio Vargas, em Porto Velho para um ato público de protesto contra a política de arrocho salarial e de precarização do serviço público do Governo Federal. Os discursos inflamados dos grevistas demonstram que a situação interna vivida em seus órgãos está a cada dia insustentável,como é o caso da Educação. Servidores do Incra, SAMP, Unir, INSS, AGU e IFRO manifestaram-se publicamente suas insatisfações


A Diretoria da Associação dos Servidores do Incra no Estado da Paraíba (Assincra/PB) esclarece que solicitou à direção da Cnasi que o parágrafo da matéria “MOVIMENTO GREVISTA, DE PARALISAÇÕES E MOBILIZAÇÕES NO INCRA E MDA DEVE SER FORTALECIDO EM AGOSTO PARA AUMENTAR PRESSÃO NO GOVERNO” que se refere à Paraíba receba nova redação a fim de deixar mais transparente a posição dos servidores do Incra e do MDA no estado.

Na Paraíba, os servidores do Incra e do MDA discordaram da apresentação de proposta diferente da equiparação com o Ibama (que vinha sendo defendida pelas entidades representativas dos servidores) por esta não ter sido discutida junto às bases antes de ser apresentada ao governo. (Nova redação para o parágrafo sugerida pela Assincra/PB à assessoria de comunicação da Cnasi)

Para pressionar o governo a atender as reivindicações da categoria, os servidores decidiram, em assembleia no dia 27 de julho de 2015, fazer atividades e “mobilizações inteligentes” nas segundas e quartas-feiras no mês de agosto. Também decidiram enviar um representante a Brasília para se incorporar ao Comando Nacional, a fim de participar de reuniões e contato com parlamentares no Congresso Nacional.

 


Atenciosamente,

 

Direção da Assincra/PB

O dia 27 de julho de 2015 em Palmas foi marcado por paralisações seguidas de atos de protestos do funcionalismo federal, juntamente com os movimentos sociais na capital de Tocantins. O ato segue orientação nacional e teve início pela manhã com concentração de servidores em frente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Ministério do Trabalho (MTE) e protestos em frente à Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), contou, ainda, com a participação de servidores dos órgãos: Universidade Federal do Tocantins (UFT), Superintendência do Patrimônio da União (SPU), Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), bem como contou com a participação de representante do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Colinas e com trabalhadores da Articulação Camponesa de Luta pela Terra e Defesa dos Territórios.

Página 3 de 33

Blogs das Regionais

Links Úteis

sindsepdfasseraincracutfassincracnasi_lutas