Blogs


A Diretoria da Associação dos Servidores do Incra no Estado da Paraíba (Assincra/PB) esclarece que solicitou à direção da Cnasi que o parágrafo da matéria “MOVIMENTO GREVISTA, DE PARALISAÇÕES E MOBILIZAÇÕES NO INCRA E MDA DEVE SER FORTALECIDO EM AGOSTO PARA AUMENTAR PRESSÃO NO GOVERNO” que se refere à Paraíba receba nova redação a fim de deixar mais transparente a posição dos servidores do Incra e do MDA no estado.

Na Paraíba, os servidores do Incra e do MDA discordaram da apresentação de proposta diferente da equiparação com o Ibama (que vinha sendo defendida pelas entidades representativas dos servidores) por esta não ter sido discutida junto às bases antes de ser apresentada ao governo. (Nova redação para o parágrafo sugerida pela Assincra/PB à assessoria de comunicação da Cnasi)

Para pressionar o governo a atender as reivindicações da categoria, os servidores decidiram, em assembleia no dia 27 de julho de 2015, fazer atividades e “mobilizações inteligentes” nas segundas e quartas-feiras no mês de agosto. Também decidiram enviar um representante a Brasília para se incorporar ao Comando Nacional, a fim de participar de reuniões e contato com parlamentares no Congresso Nacional.

 


Atenciosamente,

 

Direção da Assincra/PB

O dia 27 de julho de 2015 em Palmas foi marcado por paralisações seguidas de atos de protestos do funcionalismo federal, juntamente com os movimentos sociais na capital de Tocantins. O ato segue orientação nacional e teve início pela manhã com concentração de servidores em frente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Ministério do Trabalho (MTE) e protestos em frente à Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), contou, ainda, com a participação de servidores dos órgãos: Universidade Federal do Tocantins (UFT), Superintendência do Patrimônio da União (SPU), Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), bem como contou com a participação de representante do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Colinas e com trabalhadores da Articulação Camponesa de Luta pela Terra e Defesa dos Territórios.

Os servidores do Incra em Mato Grosso do Sul participaram, juntamente com outros funcionários federais de uma passeata, na manhã de quarta-feira (22/7), pelas ruas do centro de Campo Grande para protestar contra o rumo das negociações referentes à Campanha Salarial 2015, sobre reajuste das categorias, que está em negociação junto ao Ministério do Planejamento.

Os servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de Marabá, no sudeste paraense, declararam greve no dia 10 de julho de 2015. Dentre as principais reivindicações dos trabalhadores estão a reposição salarial imediata de 27%, melhorias nas condições de trabalho e concurso público.

"Colegas do INCRA,


Cumprindo o compromisso firmado no processo de reativação da Assincra-RJ, estamos publicando o nosso segundo boletim, com as principais notícias relativas ao andamento das questões afetas aos servidores, cujos debates vem acontecendo no interior de todas as nossas Associações.
Vale salientar que estamos imbuídos no propósito de ver nossas reivindicações serem alcançadas, no fortalecimento da nossa Confederação (CNASI) e na busca de nossa unidade interna.

Saudações,

Rosane Rodrigues
Direção da ASSINCRA-RJ e CNASI

Servidores do Incra em Belém/SR-01, em greve desde dia 10 de julho de 2015, realizaram na manhã desta quinta-feira (23/7), na capital do Pará, um debate com o Professor  Doutor  Girolamo Domenico Treccani, da UFPA (advogado e especialista em Direito Agrário), sobre o tema "O INCRA está fazendo a Reforma Agrária na Amazônia”

A nova Diretoria da Associação dos Servidores do Incra no Estado da Paraíba (Assincra/PB) tomou posse na manhã desta segunda-feira (13/7) para o biênio 2015/2016. A solenidade de transmissão da direção da Associação foi realizada no auditório Dona Flor de Camucim, na sede do Incra na Paraíba, em João Pessoa.

Amazonas - O Instituto Nacional de Colonização e Reformam Agrária (INCRA), órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, completou no dia 9 de julho, 45 anos de existência tentando dinamizar a reforma agrária no Brasil, mas os servidores no momento acham que a data não merece comemoração.

Um evento com bolo e velas, seguido de uma marcha fúnebre dos servidores pela sede da Superintendência Regional do Incra em Belém (SR-01) marcou, nesta quinta-feira (9),  o aniversário dos 45 anos da autarquia fundiária federal, que tem como missão constitucional a promoção da reforma agrária no país.

Aos 45 anos de existência, o Incra envelheceu não só pela passagem do tempo, mas principalmente pelo descaso e abandono das políticas de reforma agrária e o sucateamento dos serviços públicos promovidos por sucessivos governos.

É esse envelhecimento precoce de um órgão em processo de falência generalizada que os servidores "descomemoraram" com um grito de socorro à sociedade.

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) completou no dia 9 de julho de 2015 45 anos de sua criação. Em vários estados a data foi marcada por protestos de servidores insatisfeitos com os rumos do órgão. O sindicato e associação (ASSINCRA) de servidores dos Incra em Tocantins realizaram debate sobre a reforma agrária e a qualidade da gestão atual.

Página 3 de 32

Blogs das Regionais

Links Úteis

sindsepdfasseraincracutfassincracnasi_lutas