Qua, 27 de Novembro de 2019 22:18

DEBATE TEM AMPLA PARTICIPAÇÃO DOS SERVIDORES DO INCRA NO RIO GRANDE DO NORTE

Escrito por  Associação dos Servidores do Incra no Rio Grande do Norte
Classifique este artigo
(0 votos)

O debate sobre os ataques ao Serviço Público brasileiro e a Reforma Administrativa anunciada pelo atual Governo com os servidores do Incra no Rio Grande do Norte – realizado pela Assincra/RN e CNASI-ASSOCIAÇÃO NACIONAL -, teve ampla participação dos profissionais lotados na superintendência Potiguar, pois há algum tempo havia uma solicitação dos trabalhadores que fosse realizado um evento de tal porte para tratar de assuntos de interessa da categoria no Estado.

 

A atividade – que ocorreu na manhã do dia 18 de novembro, na própria Superintendência do Incra/RN –, foi iniciado com a exposição feita pelos diretores da CNASI José Paulo Perestrelo e Reginaldo Marcos Aguiar a cerca da temática base do evento.

 

Após um breve histórico sobre a situação do Incra, da sua importância para o desenvolvimento rural, regularização fundiária e democratização da terra, passou-se a descrição das estratégias adotadas pela CNASI no ano passado, visando a reestruturação de carreiras, inclusive chamando a atenção dos thumbnail IMG 7482 2servidores aos limites institucionais impostos tanto pelas limitações orçamentárias por conta da PEC do Teto, como pela iniciativa do Poder Executivo, que vetou a rubrica destinada a reestruturação – já em janeiro deste ano de 2019.

 

Mesmo levando em consideração toda a articulação política junto aos parlamentares, num quadro de muita desmobilização da base dos servidores, ficou claro aos presentes que sem uma estratégia que unifique as categorias do funcionalismo e suas entidades representativas, o quadro tende a piorar ainda mais, já que o Governo Bolsonaro prepara medidas ainda mais duras contra os servidores, como a PEC Emergencial e a chamada reforma administrativa - que pretendem, entre outras ações negativas, reduzir a jornada e os salários em 25%.

 

Quando aberto o debate, todas as intervenções giraram em torno de como as políticas levadas a cabo tanto pelo Governo Temer, bem como pelo atual, podem redundar na extinção do Incra, dado o quadro reduzido de servidores, que tende a ser ainda mais subtraído pelos pedidos de aposentadoria precoces, visto que as possibilidades dos ataques podem reduzir os proventos dos que, em condições de se aposentarem, permanecem ativos. Também foi muito debatido a redução de beneficiários das políticas do Incra, já que enquanto se incentiva a ação de titulação dos assentados, o setor de arrecadação encontra-se basicamente paralisado, mesmo existindo ainda uma forte demanda de trabalhadores sem terra, acampados em torno de imóveis que poderiam ser desapropriados pelo órgão.

 

Durante a tarde a CNASI estive reunida com a nova Diretoria da Assincra/RN para planejar ações conjuntas, articular participação de representantes nas atividades nacionais – a exemplo dos eventos chamados pelas centrais sindicais e nas Assembleias Nacionais da CNASI, em Brasília -, assim como disponibilizou o acesso a blog no portal da entidade para uso como ferramenta de comunicação com a categoria potiguar.

 

Ainda naquela tarde, a CNASI se reuniu com os gestores do Incra/RN para discutir e analisar melhorias para os profissionais do órgão, bem como nas ações e atividades que pudessem ser melhor realizadas, no sentido de atender com rapidez e eficiência ao público, refletindo na imagem que a instituição passa para a opinião pública local.

 

Avaliação da Cnasi
Os servidores do Incra no Rio Grande do Norte estão em uma situação bem confortável em termos de estrutura física / predial (já que estão em um prédio novo e existem superintendências e unidades avançadas sem nenhuma condição de funcionamento, como as de Mato Grosso do Sul e Paraíba, e fechada, como a de São Paulo) e de relacionamentos com os gestores da Superintendência – integrada basicamente por profissionais do órgão -, em contraste com de outras SRs cujos chefes são apenas indicados políticos sem nenhum conhecimento nas atividades realizadas pela autarquia, bem como praticam assédios (velados ou explícitos) aos profissionais.

 

Mesmo assim, há necessidades e reivindicações dos trabalhadores que são comuns à toda a categoria – a exemplo da reestruturação de carreiras e garantia dos direitos trabalhistas -, bem como outras específicas do Estado.

 

O debate foi muito proveitoso, pois houve uma série de questionamentos, argumentos e análises apresentados pelas dezenas de servidores que participaram do evento. Isso, demonstrou que os profissionais estão preocupados com o futuro do Serviço Público e com a autarquia.

 

Saiba AQUI mais sobre debates que CNASI-AN realiza pelo país.

 

Fonte: Cnasi-AN

Última modificação em Qua, 27 de Novembro de 2019 22:33

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Blogs das Regionais