Dom, 24 de Novembro de 2019 00:06

SERVIDORES DO INCRA NO AMAPÁ DEBATEM SOBRE A REFORMA ADMINISTRATIVA E OS ATAQUES AO SERVIÇO PÚBLICO

Escrito por  Associação dos Servidores do Incra no Amapá
Classifique este artigo
(0 votos)

Os profissionais do Incra no Estado do Amapá estiveram reunidos durante debate para analisar a situação dos Serviço Público Federal, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) emergencial / reforma administrativa defendida pelo governo e seus impactos para o conjunto dos servidores públicos das três esferas.

 

O debate - que ocorreu no dia 18 de novembro, na sede regional da Superintendência no Amapá -, contou com a participação do diretor nacional da CNASI-ASSOCIAÇÃO NACIONAL, Ronaldo Coelho, bem como a chefe de gabinete do Incra/AP, representando o superintendente, Maria José, o diretor da ASSINCRA/AP, Pedro Carlos, e o presidente da CUT estadual, Geovane Grangeiro. O evento contou com a organização da Assincra-AP, SINDSEP-AP, CUT-AP, WhatsApp Image 2019-11-18 at 10.04.35além da própria CNASI-AN.

 

Ronaldo Coelho discorreu por aproximadamente uma hora e abordou sobre as medidas implementadas pelos últimos governos que afetam diretamente na vida do servidor, entre eles: PEC do teto dos gastos; reforma trabalhista; reforma da previdência. Mas deu especial atenção à reforma administrativa, também chamada de PEC emergencial, apresentada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

 

Segundo Ronaldo, o potencial da proposta é assustador, não apenas por prever a redução de salário do funcionalismo no curto prazo e acaba com a estabilidade de futuros servidores, mas porque traz outros expedientes que permitirão, inclusive, a suspensão da prestação de serviços no caso de crise econômica e consequentemente suspensão de salário, os ditos atual como contigenciamentos de gastos. E, o que é mais grave, os efeitos serão permanentes. Somente outra PEC reverteria.

 

Avaliação da Cnasi
Mesmo com tanta pirotecnia em usar espaço na imprensa e nos canais oficiais de comunicação, o governo está receoso com a capacidade de reação dos servidores e justamente por isso ainda não propôs a tramitação do pacote. E é aí que pode residir a saída para evitar mais essa medida do governo. A estratégia é articular a resistência e luta juntamente com o conjunto dos servidores públicos, diálogo com os parlamentares e, sobretudo, participação nasWhatsApp Image 2019-11-18 at 10.04.40 2 mobilizações em defesa dos direitos e do serviço público, agenda que será apresentada pelo conjunto das entidades.

 

Como em outros momentos em que os trabalhadores do Incra se mobilizaram e obtiveram resultado, não será diferente desta vez. E cada estado é fundamental na luta geral.

 

Por isso foi proposto pela categoria no Amapá de se escolher um grupo de servidores da Superintendência pra se integrar com outras categorias dos servidores públicos, como: Ibama, Funai, universidades, Receita federal, policial federal, ministério público, judiciário. Além de mobilizar as entidades que representam os servidores para conscientizar e mobilizar os colegas sobre a PEC da reforma administrativa e, entre outras ações, a categoria decidiu buscar apoio parlamentar contra o desmonte administrativo do Serviço Público.

 

Saiba AQUI mais sobre debates que CNASI-AN realiza pelo país.

 

Fonte: Cnasi-AN

Última modificação em Dom, 24 de Novembro de 2019 00:16

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Blogs das Regionais